quinta-feira, julho 21, 2005

Junto à ponte

Encostada a um pilar da ponte de tédio, ela fala do tempo que não é e que assim, como um não acontecimento, acontece. Uma vez alguém me disse, espero o que me acontece e essa ideia ficou. Imaginem o trajecto que esta ideia fez numa alma ansiosa como a minha !!! Tantas e tantas vezes as minhas noites b'lezianas foram sugragadas pela evidência da luz da madrugada dizendo-me que felzmente para mim aquilo que procurava não era aquilo que encontrava. E agora Jorge Palma canta, ouço o fragmento, junto à ponte...