domingo, outubro 09, 2005

Piquenique

Chove. A água molha tudo. Eu nunca disse, porque é indizível, que a palavra foder, e gosto dela ali ao passar da fronteira, róder, é vocábulo que de mim se abeira quando tento explicar a mim mesmo que a vida deve ser vivida até ao tutano. Não gosto de dizer indecências. O meu sexo a foder o teu sexo não me excita, ou não me excita por aí além. Já não me envergonha mas ainda não me excita. Não se passa o mesmo se eu pensar nos teus olhos. Às vezes olho-os e a única coisa que podia dar conta do que sinto é esta ideia absurda de que gostava que os meus olhos os fodessem.

4 comentários:

mr disse...

Después atravesar la frontera, decir "joder" o "follar"!

Lyra disse...

idem aspas aspas poderia dizer.

marta m. disse...

nunca pensei que a palavra pudesse ser tão romântica...

Phwo disse...

As palavras (des)organizam-se sempre como queremos. O mesmo se pode dizer dos olhares(?)...