sábado, maio 20, 2006

O primeiro dente de leite

No outro dia telefonou-me: - Pai, tenho um dente a abanar. A alegria com que me deu a notícia era tanta que eu me desmanchei a rir, no meio da rua. Hoje está comigo e antes de escurecer fomos jogar à bola para o pátio. Levou um pão com ele. Ao descermos as escadas reparei que se demorava muito. - Pedro? - Pai, o meu dente caiu. Tinha o lábio com um bocado de sangue e o dente na mão. - O dente caiu, pai... Guardámo-lo num bocado de papel. A relíquia. Fiquei contente com ele e com o dente, tinha pacientemente esperado por mim para poder assistir à alegria dele. No Café da Vila exibiu orgulhoso a sua pequena falha na gengiva. À noite estava excitado, queria ir dormir. Colocar o dente debaixo da almofada. Hoje vou ter de fazer de fada dos dentes de leite.

4 comentários:

Bruno disse...

Ainda me lembro de me contarem essa estoria.. Espero também 1 dia contar aos meus filhos! :>

Guilherme F. disse...

Simples.Tão simples (as palavras) que encadeiam. Cegam.Chegamos e partimos com a Calma; a luz da infância. Essa luz que alguns (poucos) ainda guardam, em segredo, para lá voltarem em momentos como este. Passei e gostei.

marta m. disse...

e assim começa uma nova fase da vida do teu filho (o sorriso desdentado vai aparecer nas fotos dos próximos anos).
e da tua...

Luis disse...

Enterra-se num vaso. Pensa-se numa coisa boa. Nasce no dia seguinte.