quinta-feira, junho 01, 2006

A Coisa Pública segundo Roberto

Tornei-me num medíocre, disse Roberto. A coisa pública acabou e eu continuo aqui plasmado na minha incapacidade. Não sou capaz de mudar de vida. Estou aqui à espera de um plano qualquer de emagrecimento público que me ajude a fazer aquilo que só eu posso fazer. E ainda por cima esta maldição de escrever. Para quê? Escrever dá-me ganas de super-herói. São os meus amendoins de super-pateta alegre. E para quê? Para não perceber o essencial? Ou seja, alguém que preste um serviço público deve a sua fidelidade a quem? Aos seus chefes? À mediocridade inassumida? Aos pequenos tiranetes? Ou à coisa pública em si? E existirá coisa pública em si, uma coisa sem as pessoas, estas pessoas ?

1 comentário:

sete e picos disse...

acho que existe a coisa pública em si, ou seja o Estado, as leis, a ética. É por esta coisa pública que um arquitecto da câmara municipal de évora tem um processo em cima por não ter querido dar autorização para construção num terreno onde a lei dizia que não se podia construir e o presidente da câmara insistia que sim. A coisa pública tem que estar por cima dos chefes e da mediocridade. talvez por isso escrevemos e nos divertimos a brincar aos super-heróis.
Eu cá sempre quis ser a Mulher Maravilha..