quarta-feira, agosto 30, 2006

Grau zero

Sou um homem de fraca compleição moral. Não sei se nasci assim, faltam-me os registos e as anotações e até mesmo aquele albúm de fotos escrito com a letra redonda da professora primária que era a minha mãe, muito pouco diz sobre isso. Talvez por esse motivo tenho tentado completar esta lacuna genética. Não sei por isso o que é um criminoso. Moro mesmo ao lado de uma antiga prisão. E se já tenho por isso alguma capacidade para reconhecer uma, continuo ainda assim com uma enorme dificuldade em reconhecer um criminoso. Não digo compreender. Tudo é passível de ser compreendido, basta vontade. A minha miséria moral é outra: reconhecer.

1 comentário:

M em Campanhã disse...

o mesmo ar que respiramos já deve vir da infância: a minha mãe (como a de D e H, lá da linha) tb era professora primária.