quarta-feira, agosto 16, 2006

A moeda de troca

Há pouco um israelita resumia assim o drama, o conflito: - Isto vai ser sempre assim. Nunca estaremos em paz. Porque eles não têm medo de morrer. Do outro lado das fronteiras, os palestinianos e os libaneses mais lúcidos talvez tenham pensado que esta guerra vai durar tanto tempo quanto durar o terror israelita de ser destruido pelos seus vizinhos árabes.
É essa a moeda de troca no negócio da guerra do Médio Oriente, o medo.

6 comentários:

cbs disse...

no médio oriente e em todas as outras guerras.
eu diria que é a tal mácula original, porque é manifesta até nas relações individuais.

mas não interessa, o que me interessa é que subescrevo-te nesta, a cem por cento :)))
estou a comemorar Joaquim,lol
um abraço

JPN disse...

um abraço, até segunda, lol

your disse...

phentermine nice :)

devagar disse...

Mestre de coisas várias, o meu enorme bem haja por continuares a trazeres à consciência das nossas vidas, a evocação da nossa indiferença e passividade perante o horror e a barbárie.
Aquele abraço do outrora António, e Alfredo, agora e sempre Ricardo.

rui mota disse...

O medo, sem dúvida, mas também o fanatismo religioso de ambas as partes (do "Partido de Deus" e do "Povo Eleito") e os interesses geo-estratégicos dos EUA e do Irão.

rui mota disse...

O medo, sem dúvida, mas também o fanatismo religioso de ambas as partes (do "Partido de Deus" e do "Povo Eleito") e os interesses geo-estratégicos dos EUA e do Irão.