terça-feira, setembro 26, 2006

Azimutes: mudar

Quando a senti na minha pele percebi, agora sou eu que anseio pela sua próxima viagem. Há poucas coisas que nos façam crescer tanto como uma simples mudança de azimutes. É paradoxal, não consta do meu passaporte, o meu regresso.

1 comentário:

(a)mar disse...

Também vou mudar de azimutes, vou mudar-me a mim. A mudança nem sempre é má. Também não espero regresso (pelo menos um regresso na minha forma presente). *