segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Apertos

Ando aqui a enternecer-me. Começa já a ser um companheiro. E depois faz coisas que me desatam o riso. Dançar por exemplo. É desengonçado e ritmado como o pai. Tem os olhos meigos e gosta de dizer que gosta. No outro dia inventámos um jogo.Vamos na rua, um pela mão do outro. Damos um aperto. É para nos olharmos nos olhos. Dois apertos é, gosto muito de ti. Três apertos ( o que ele mais gosta) é para, em andamento, darmos um pontapé com o calcanhar no rabo um do outro. E depois lá acrescentámos mais duas variantes. Quatro, calduço. Eu estava a pensar que ele nunca me apanharia a tola mas ele foi mais prático, depois de falhar a primeira vez. Elevou-se no ar e fez um verdadeiro afundanço no alto da minha carapinha. Cinco, adoro-te até á lua. E é nisso que nos ocupamos, quando passeamos na rua. O que eu mais gosto é aquele gosto muito de ti. Sabe-me bem que ele seja meigo, que cresça meigo e que nunca se canse de ser meigo.

2 comentários:

E-clair disse...

Ama melhor quem mais imagina:)

CCF disse...

E muito queremos e precisamos de homens meigos :)
~CC~