quarta-feira, fevereiro 13, 2008

O amor no dia de S. Valentim

É dos tais dias que não importam senão para o comércio. Ou melhor, que só importam na medida em que o comércio é importante. O amor quando é a sério, não tem horas. É como uma doença, mas ao contrário, benigna. Porque raio deixaria uma pessoa de amar só porque é dia de S. Valentim?

6 comentários:

Amélie Poulain disse...

De hecho, nunca nadie ha contado que San Valentín se hubiese enamorado nunca. Tal vez porque no había grandes almacenes comerciales.

Lyra disse...

o amor, ás vezes, é como uma doença maligna..

someothertime disse...

Os teus seios, perfeitos, inocentes, na exacta medida das minhas mãos adolescentes

Mónica (em Campanhã) disse...

como todas as datas festivas, o dia dos namorados (s. Valentim não me diz nada) serve para criar mais um espaço para o amor. não faz o amor. não impede o amor. mas pode servi-lo. serviu-me ontem. sem comércio. sem prendas. sem parafernália alusiva. só com espaço mental.

SMS disse...

O dia dos namorados é mais um pretexto. Para amar. Mais ainda. Para ter um dia em que se tem uma desculpa para pedir: "Ficas-me com os miúdos? É que hoje..."

sete e picos disse...

o teu dia de são valentim deve ser como os casamentos dos ciganos, até hoje nada de postas ;) é só p'a deixar um recadinho, parece que lhe deixaram um desafio lá na chafarica, um abraço