sábado, junho 21, 2008

O salvamento

A alegria com que ela o salvou das garras do felino. Ainda está vivo. Levaram-no para o quarto, alimentaram-no, reanimaram-no. A história poderia ter tido um final feliz mas o destino do pobre pássaro já estava traçado. Quando voltaram para a mesa deixaram o quarto fechado sem perceber que o gato se tinha escondido lá dentro. Ninguém teve coragem de lhe contar o desenlace fatal. E assim ela veio ter connosco orgulhosa:
- Já está bom e já se foi embora. E fui eu que lhe dei de comer na sua boquinha pequenina!

1 comentário:

Isabela disse...

Uma vez também me morreu um passarinho nas mãos. Foi a minha Micas que o apanhou nos vasos e o abocanhou. Não muito, mas o suficiente para o passarinho se finar, porque são tão frágeis. E quando o passarinho morreu parece que senti a sua alma, muito quente, queimar-me a concha das mãos e sair dele. Isto faz-me chorar.