quarta-feira, junho 22, 2005

Lisboa, 11.54

Devem ser centenas as fotografias espalhadas pelo mundo comigo dentro. Num pequeno número delas, estarei ao centro por vontade do outro. Na maioria, alguém terá querido evitar-me sem sucesso. Nos próximos dias, vou voar digital até lugares distantes, nas malas de turistas que quiseram fixar o rio e os descobrimentos, mas não conseguiram tirar-me do enquadramento.

1 comentário:

rosa, a púrpura guerreira disse...

(Uma rosa murcha, logo outra nasce em seu lugar.)