quinta-feira, setembro 01, 2005

O beijo primeiro como apogeu do amor

Era uma vez uma rapariga e um rapaz. Encontraram-se numa noite invernosa, numa casa deserta, sem electricidade. Os dois em pé em frente um do outro. Como crimonosos na direcção do crime, suspensos e lentos na marcha do encontro, moviam-se perversamente. Ela dá um passo. Ele fica muito perto e sabe-o no escuro, ouve no silêncio o coração do outro ser. Posso beijar-te? "Leu-me os pensamentos." Ela sabia a cerejas, ele a rebuçado de limão.

5 comentários:

joana disse...

ohh

JPN disse...

:)

maresia disse...

e aqui apeteceu-me "que infinito..."

luzes e sombras disse...

Quem dera, que fosse quase sempre assim...

sa disse...

ai ai ai :)