terça-feira, janeiro 17, 2006

O amor em promessa

Pedem muito a quem ama, pedem o amor, trago este verso de Herberto colado à minha língua. Dediquei-me ao amor. Toda a minha vida me dediquei ao amor. E nisso sou tão igual a toda a gente. Todos, todos nós nos dedicamos por extenso, pelo extenso dos nossos dias, minutos, segundos, ao amor. Até o ódio é o produto do mais intenso amor. É uma teoria. Eu sei. Tudo é amor em promessa, em dedicatória e quase nada é amor à chegada. Na minha vida também. Só muito tarde percebi que para amar não bastava querê-lo. Nem dizê-lo. Era preciso sofrê-lo. Sofrer o amor antes dele chegar, essa a hora do amante. E é por isso que eu sei que este amor a que cheguei, é o meu amor verdadeiro.

1 comentário:

Luis disse...

Felicidades