segunda-feira, janeiro 30, 2006

Post em Branco

Apaguei um poema inteiro lugar de pinheiros e cigarras um poema cheio de tempo. não foi escrito para todos os efeitos Levaste a tua mão aos meus cabelos Com um toque de vidro este poema não existe não seria capaz de o escrever teria medo das facas que empunharia para se tornar credível Silenciei a minha respiração Fiz-te pensar que já tinha adormecido O verso não dorme Vígil Significados que nos escapam Dormem debaixo das palavras-pedra Não quero dizer o que não quero dizer Não sei porque me fiz assim O amor não me cabia dentro É por isso que não escrevo Se escrevesse Seria para dormir melhor Não quis dizer o que não quis dizer Juro que sou (mais feliz que) a poesia Não que haja mal algum nisso Não tem mal nenhum É até poético Talvez. Soubesse que não havia retorno À entrega Apaguei um poema inteiro

2 comentários:

JPN disse...

O que (só) tu consegues escrever num post em branco! :)

Morpheu disse...

Fiquei sem palavras! gosto destes poemas que não existem mas no entanto estão. Dizemos tudo em certos silencios gritantes ou num papel vazio: está tudo lá, no fundo, onde sabemos existir a poesia.