sexta-feira, março 10, 2006

Ensino Artístico em Portugal

Acabou ontem a Conferência Mundial do Ensino Artístico no CCB. Estive lá como observador. Na pasta um documento de trabalho, com a situação em vários pontos do globo, resultado de várias reuniões regionais. Faltou ali o caso português. Que tem uma singularidade muito grande. Desde os tempos da Educação pela Arte da Madalena Perdigão no Conservatório Nacional. Passando pelas muitas e diferentes experiências comunitárias e de intervenção sócio cultural e artística que se sucederam a Abril de 74. Ao movimento do teatro para a infância e juventude. Ao movimento dos animadores culturais, cujo ponto alto foram as várias edições do Encontro de Animadores (que vai em certa medida anos mais tarde, reencontrar-se na Manifesta). Ao surgimento das Teatrotekas, modelo de uma intervenção entre a escola e o teatro (sobre as quais falta uma reflexão mas onde há experiências e práticas a reter e sinalizar) que nasceu num dos movimentos mais dinâmicos da expressão artística, o movimento da expressão dramática. Que para além de outras coisas foi um dos embriões da IDEA(Associação Internacional de Teatro e Educação), que hoje aparece como parceiro da UNESCO para esta Conferência sobre o Ensino Artístico. A IDEA foi aliás criada no Porto, no 1º Congresso Mundial de Teatro e Educação, em Julho de 1992 e Portugal teve uma vice-presidência (Carlos Fragateiro). Mas esta realidade não esteve presente no CCB. Senão na nossa memória.

2 comentários:

Phwo disse...

JPN,
Alguém falou na experiência portuguesa. No último dia. Alguém que estava na plateia e foi meu professor (Alberto ??? de Sousa??), fez uma intervenção assinalando que Portugal produzira já alguns resultados naquilo a que chamam "educação pela arte". Claro que fazer um comentário e apresentar uma comunicação são dois níveis de intervenção (e de peso) distintos, mas... e África?
(Nós então... apenas continuamos a lamentar-nos da falta de dinheiro, da tal colonização de 500 anos e a sugerirmos que somos excluídos. Triste, não? Quando sabemos que, na maioria das vezes, estamos perante as enormes faltas de sensibilidade, de vontade política, de planificação, etc., para não ser demasiado desagradável e suspeita)
Um abraço

graça martins disse...

O Ensino Artístico em Portugal e no mundo está a ser discutido aqui na Rede Ibérica de Educação ARtística: http://redeibericadearte.blogspot.com/

já faz um tempo...
Toda participação é necessária e desejável.

Graça Martins