sexta-feira, agosto 25, 2006

Crença na humanidade inteira

Ao sair do SPA desço ao Rato e de repente dou comigo a crer desesperadamente na humanidade. São pequenas coisas, umas atrás das outras. Um sorriso. Um olhar demorado. Aquele passo leve de quando tinha vinte anos. Nunca, nem mesmo no Colombo, tinha experimentado tal epifânia.

1 comentário:

pigassola disse...

será que deveriamos ir montar os SPA Sem Fronteiras em Israel, no Libano, na Colombia, etc, etc? Talvez assim o mundo voltasse a acreditar em si mesmo...