quarta-feira, setembro 20, 2006

e entao?

desesperadamente.
ela procurava.
procurava alguem que a fizesse sentir orgulhosa de ja nao ser inocente e de nao acreditar em receitas magicas para dormir melhor.
procurava alguem com quem sentisse que tinha valido a pena passar por amores fieis, quase sempre ridiculos, espacos em branco e relacoes que estava sempre a colorir de tintas contrastantes e quentes, devido aos seus defeitos de origem.
ela procurava e depois quase que por acaso tropecou em alguem assim.
foram tomar alguns cafes e beber vinho e ver algumas coisas bonitas na cidade, porque nao havia muito tempo.
ele disse que havia outros como ele.

1 comentário:

Morpheu disse...

Sabes ao ler o teu post apetece-me dizer-te: hello there! it's a beautiful day isn't it.Depois olho para a janela rasgada a gotas que caem em catadupa na noite arrefecida e penso: e daí talvez não. As nossas buscas pretendem sempre preencher espaços em branco, faltas que nos deixaram a alma vazia; procura-se um raio de sol na tempestade ou até a mais simples claridade na noite de que não avistamos madrugada; um dia algo nos preencherá, não precisa de ser nada complexo, basta que nos faça sentir felizes. Ser feliz é bom. Sê feliz, mereces.