sábado, novembro 11, 2006

Homenagem à mãe

Eu tento sempre que ela seja a Isabel. Nem sempre consigo. Algumas vezes é a minha ex. Detesto este termo mas por vezes caio na facilidade da abreviatura. Mas quase sempre é a mãe do Pedro. E encontramo-nos,as mais das ocasiões, como num cais de embarque, de cada quinze em quinze dias. Só quando a coisa corre mal é que o tempo pára um bocadinho. Ontem foi um desses dias. Ele estava cansado, repetiu o choro, não queria ir com o pai. Lá teve ela de intervir. Inscreveu-se no concurso "a melhor amiga do Pedro" e lá esteve em trabalho de diplomacia pura. Eu via-os de fora do carro. A certa altura chamaram-me. As negociações estavam concluídas. Seladas com uma autorização especial para uma buzinadela rápida no carro da mãe. E quando ela partiu, já com todas as lágrimas secas e os ares apaziguados, homenageámo-la os dois. À amiga, à mãe.

1 comentário:

Mary disse...

É bonito!