segunda-feira, janeiro 29, 2007

SIGLA (S.A.R.L)

Entro num alfarrabista por causa de " As cruzadas vistas pelos Árabes", de Amin Maalouf. Por um sortilégio resolvo pagar com multibanco e tenho por isso de ir por um percurso entre móveis e estantes até um cantinho onde estão também discos em formato LP e Singles. Lembrando o tempo de quando o mundo rodava a 33 e a 45 rotações. Pergunto, só por curiosidade - tenho a certeza de que um dia o voltarei a encontrar na casa materna - se tem o Maxi Single do FMI.
- Ah isso não sei, tem de ser os clientes a procurar. - Procuro. O primeiro disco tem assinatura de José Mário Branco. Poemas de bibe, ditos por Manuela de Freitas e Mário Viegas. Angola é nossa, Os Pauliteiros de Miranda são outro. De repente vejo uma cara conhecida na capa de um disco. Olha, é o Ary dos Santos, digo de mim para mim. Há muito que procuro, sem encontrar sequer referências na sua poesia editada, o poema SIGLA (S.A.R.L). E lá está, depois de Minha mãe que não tenho, o poema há tanto procurado. Já ganhei o ano.

3 comentários:

Rui Rebelo disse...

os alfarrabistas continuam a ser óasis em fins de arco-iris.

vidinha disse...

Olá! Desde já muito obrigado por responderes ao meu comentário anterior e pela informação relativa ao poema que publiquei no meu blog. Em relação aos comentários, penso ter a situação resolvida. E volto a reforçar que questões referendais à parte, costumo gostar bastante de ler o teu blog. Espero, que também continues a gostar tanto de escrever como eu gosto de ler.
Até breve!

Rita Lemos disse...

que sorte conhecer tal alfarrabista, com Lps e Singles à mistura.
Não sabia era que para comprar "As cruzadas vistas pelos Árabes" era preciso ir a um alfarrabista. Amin Maalouf é tão actual!Se gosta dele experimente ler "Origens"...