sábado, fevereiro 03, 2007

ASNÃO SIM

Narana Coissoró acusou Ana Drago de tornar o assinalar das condições das mulheres que abortam numa espécie de tantra. E depois, até final, repetiu, como um tantra, que esta lei tornava criminosas as mulheres que o faziam às 10 semanas e um dia. Concordo com Narana. Com tanta gente do Não a defender esta questão ou até, como Marcelo, a não criminalização, os partidários do sim tiveram em excessiva linha de conta o extremismo de César das Neves e não foram suficientemente audazes. Foi de certeza falta de diálogo.

1 comentário:

Manuel Bento disse...

A clérigo sandeu parece-lhe que todo o mundo é seu - (Provérbio Popular)