terça-feira, fevereiro 06, 2007

O sim quer dizer sim e o não quer dizer não

Daniel Oliveira falou quase no fim da última parte do debate. Estavam todos a discutir muitas coisas. O valor da vida intra-uterina. A dor do feto. A possibilidade de com Castro Caldas se sentarem todos ali a discutir as condições que poderiam ser momentos de desculpação da mulher. E é então que o Daniel se levanta e diz:
- "O sim ainda tem valor de sim. O não tem valor de não. Despenalizar significa, tirar a pena. Por isso, se cinquenta por cento mais um decidirem que sim, o Estado não pode criminalizar a mulher e pode ajudá-la a mulher a promover a intervenção voluntária da gravidez, se cinquenta por cento mais um votarem não, o Estado está proibido de despenalizar a interrupção voluntária da gravidez".
É isso que os portugueses vão votar. Mais nada.

4 comentários:

cbs disse...

isso mesmo.

mainada :)

Anónimo disse...

A convicções do Castro Caldas, são demais.
Curioso, foi ver socialistas do lado do NAO. Ora então não era para ser um referendo de acordo com a cor?? :-)

Anónimo disse...

A convicções do Castro Caldas, são demais.
Curioso, foi ver socialistas do lado do NAO. Ora então não era para ser um referendo de acordo com a cor?? :-)

Manuel Bento disse...

Querer fazer passar a ideia de todo falsa de que matar um conjunto de células é a mesma coisa que matar uma criança, tal é exarcebado fundamentalismo dos tempos do mais negro período medieval!!! Vale tudo para aqueles que pela racionalidade argumentativa não fazem valer os suas ideias e posições...