quarta-feira, dezembro 05, 2007

O rival

- Não eras tu que tinhas uma amiga que era vizinha do Clooney?
Sim, era. Mas o pior foi o salto que ela deu no sofá da sala.
- Hoje sonhei com ele.
Tentou conter as chispas do seu olhar. Fagulhas. E ele a pensar, esta metáfora do fogo está a dar cabo de mim. Serviu-o, ao fogo, frio:
- S-o-n-h-a-s-t-e com ele? Enquanto estavas ao meu lado?
Ela rindo, como se fosse verdade:
- Ele é tão sopeiro.
Ele contente, indisfarçávelmente:
- Sopeiro?!
Ela, como se fosse cada vez mais verdade:
- Um foleiro. Agarrou-me por detrás vê tu?! Eu afastei-o, não queria acreditar que ele fosse tão vulgar. No fundo é um boçal... Tem muito dinheiro para comprar roupas giras, para ir aos bons cabeleireiros...
Vamos interromper só para um flash do instante de felicidade na cara dele. Ele merece. Ela continua, cada vez mais perto da verdade:
- ...para usar os melhores perfumes...
Ele, um súbito click:
- ...tu disseste perfumes?
Ela calou-se. Estava tudo a correr tão bem.
- ...tu disseste perfumes?

2 comentários:

6º Esq. disse...

mas afinal, o que tens tu contra os perfumes?
ainda há pouco fui ao c.c.arco iris procurar o "galeão" e senti um perfume inebriante no ar...

opps! não havia "galeão".

Anónimo disse...

Talking about Nespresso? What else?