terça-feira, maio 02, 2006

Maldito cigarro

O último post fez-me lembrar que raramente falei sobre o meu processo de desabituação tabágica. E já lá vão dois anos e meio. Talvez tenha falado nisso ao de leve quando a Sofia do Mal começou no seu calvário dos pensos mas nunca usei este espaço para reflectir sobre isso. Aliás, como nunca usei este espaço para quase nada que seja pensamento mais afoito. O meu trabalho como animador. A minha experiência no teatro. A escrita dramática. Sobre o tabaco: quis deixar de fumar durante anos e anos porque me aterrorizava a ideia de morrer. Nunca o consegui. A única coisa que consegui fazer foi sofrer mais. Só consegui deixar de fumar quando comecei a ficar possuído pela ideia de viver melhor. Só quando começou a ser sentido e evidente que sem o cigarro a minha qualidade de vida melhorava muito.

1 comentário:

Luis disse...

Grande.