domingo, maio 27, 2007

A cidade em versão mp3

No outro dia aderi ao mp3. Veio com dois auscultadores, o que tem a vantagem de poder convidar alguém para dançar comigo no meio da rua. O mais fascinante é tudo o que cabe lá dentro. Ontem passei a manhã a copiar discos. Lura, Tito Paris, Ildo Lobo, Cordas do Sol, Orlando Pantera, numa gravação mais ou menos inédita, com conversas, uma pequena pérola, João Afonso, José Afonso, Fausto, Jorge Palma, Godinho, Caetano, Marisa Monte, Edith Piaf, Caetano e Chico, Caetano a solo, Milton Nascimento. E ainda vou a meio da capacidade. Agora sou um daqueles autistas que andam por aí com os ouvidos tapados e uma cidade dentro da cabeça. Hoje dei vinte euros ao taxista para pagar 6,50, ele deu-me 3,50, disse-lhe obrigado e saí, com o Fausto a levar-me por esse rio acima. Não há nada que não tenha o seu custo. Chego a casa e a minha perguiça habitual de colocar um cd não tem vez. Escrevo a ouvir Nancy Vieira. Tenho uma data de posts dentro da cabeça - sempre que vou aos Olivais a minha cabeça não pára, as memórias, as sensações, as imagens, cruzam-se prolixamente - e escrevo a ouvir Nancy Vieira.

1 comentário:

M em Campanhã disse...

bem-vindo ao clube. o mp3 de certeza que ajudou à fertilização do regresso ao teu passado.