terça-feira, junho 12, 2007

Interpretação de um mundo imperfeito

"O amor que fomos, que vivemos, que sentimos e de que morremos uma única vez é a nossa sombra até ao fim dos dias. "
Na caixa de comentários do seu post , a Isabela.

1 comentário:

Isabela disse...

Andas mesmo a bater com o amor, caraças!
Pá, vai antes bater uma a ver o Tejo.
Eu deste lado não tenho Santo António.
Esses sítios onde tu moras são mesmo só para gajos intelectuais de esquerda.
Beijo.