quarta-feira, agosto 06, 2008

Territórios ocupados pelo horror

Todo este processo é de uma grande crueldade. No outro dia os jornais publicaram a foto dos palestinianos em cuecas, de braços levantados, para demonstrarem que não traziam armas. Depois, o presidente da Autoridade Palestiniana exigiu-os para uma guerra que eles já não querem sua. Ao voltar foram presos pelo Hamas. Leio estes casos de pressão sonre os palestinianos que necessitam de receber cuidados médicos em Israel. Eu já não sei onde me situar no meio disto tudo. Não sei.

6 comentários:

Anónimo disse...

"Aquele que não toma posição já escolheu o seu lado: o do mais forte."

JPN disse...

toda a gente toma posição. mesmo que não seja uma posição reconhecida e admitida no mercado das posições.

não o reconhecer é também uma posição: ao lado dos mentirosos que nos vendem a guerra, a contra-guerra, a anti-guerra.

Anónimo disse...

Isso de toda a gente tomar posição é idealismo puro e duro. E depois, essas posições várias e tal, relativizar e tal, ao contrário do que dizes é altamente valorizada no mercado das posições dos jornais, relevisões, rádios, blogs etc etc etc. Fica muito bem às elites intelectuais aburguesadas e/ou atreladas; e melhor que tudo: deixa-as sossegadas consigo próprias, mergulhadas nas suas inquietações interiores, divertidas com as amarguras das suas pequenas dores infantis: é bonito isto e dá inspiração para belos textos românticos.

JPN disse...

não mistures tudo, anónim@. jornais, televisões, rádios e blogues não trabalham todos da mesma maneira.

mas vou ficar por aqui, anónim@, acho que teimas em não perceber que "o não saber onde me situar no meio disto tudo" não é não tomar posição, é apenas não saber onde me situar no meio dusto tudo.

deixo as certezas para ti. os aforismos sempre a baterem certo.´e as revoluções dos outros sempre por fazer. eu continuo a não saber, enquanto ser humano, onde me situar neste horror, nesta barbárie. ao invés do que dizes as tuas certezas sossegar-me-íam desinquietar-me-íam, mas eu acho tão mediocre a tua certeza, amigo!

só numa coisa tens razão: faço parte de uma elite de pessoas que vivem num mundo onde a lei da sobrevivência só vem ao de cima, caricaturalmente, quando uns camionistas tropeçam nas estradas e os supermercados se esvaziam.

maria josé vitorino disse...

No fundo sabes. Contra

vaandando disse...

Eu estou do lado dos palestinianos, dos homens e mulheres concretos da Palestina, mas não do Hamas, estou do lado dos homens e mulheres isrelitas concretos que querem o convívio lado a lado; e sei que ISRAEL, alíás , todos os Estados são artificiais, este Estado , o de Israel, também , o é ,,, Coube -me saber isso pela história....
Por isso defendo a partilha política dos territórios em causa e a convivência política destes dois países ...e é possível!