quarta-feira, janeiro 21, 2009

Um dia novo no novo dia

Imagino o post com poucas imagens. Bush sai, entra Barack Obama. O circo, os confettis, o espectáculo estava muito bonito, disse-me a minha mãe e eu acredito no que ela me diz. Estava aqui, com os pés no aquecedor por baixo da mesa redonda de camilha, e o novo presidente falava e eu gostei de o ouvir, vê-se que é um homem que sabe o que quer. Fiquei com muita esperança de que o mundo vai melhorar. Depois pergunta-me mais uma vez por ela, é uma mãe invulgar - ou então sou eu que como filho não presto muito - quer-me sempre ver aos pares, diz-me sempre a mesma coisa, desta vez é que acertaste, meu filho. E eu digo-lhe que sim, é a mais pura das verdades, desta vez, e para o resto da minha vida, acertei. Digo-lhe adeus enquanto penso em Obama, na minha mãe, neste fim de tarde, na Lisboa de 1880 onde este Chiado Chique, de charrete e cartola, ía ao teatro, à ópera, à Lello, e em como a vida, a puta da vida, é mesmo esse balancé de pequenos nadas. Sou uma máquina de gostar.

4 comentários:

NavegaDora disse...

:)

Anónimo disse...

como assim Chiado Chique ???? com letras maiusculas ? voce conhece o grupo PTS ??? chiado chique ???
eh um rap nacional de mto boa qualidade ... nao sei se voce fez referencia a eles ou plagiou a ideia ... gostaria de ficar a par dessa estranheza internetica! obrigado !

www.myspace.com/prestensompts

Anónimo disse...

???????????????????

Anónimo disse...

A questão correspondente abrange o que se denominaria indefinido. Por onde se desfez a circunferencia academica no intuito fonético friccionado pela armazenagem de perpendiculancia anatomica. Atomicamente pts adverte. Seus valores invertem. E se diverte.