domingo, agosto 05, 2007

Tampinhas de silicone

Ele achava muita graça àquela caixinha de tampinhas de silicone que ela tinha em cima da cómoda. E que ela colocava dentro dos ouvidos logo que lhe dava as boas noites. O pretexto era o seu ressonar violento, intempestivo. Até que percebeu que não era nada disso. Utilizava-as para não ouvir as juras de amor que ela mesma lhe fazia quando o sexo revirava a noite do avesso. Ele nunca lhe disse nada. Era assim que a noite devia ser, silenciosa.

1 comentário:

E-clair disse...

O meu reino por tampinhas eficazes: que deixem ouvir todas as juras e abafem todos os ressonares!! E, já agora, que sejam invisíveis...um pouco de estética, please.