sexta-feira, abril 23, 2010

Abraçar

De repente tive saudades dos longos abraços que dava na adolescência, quando apanhávamos uma piela e todo o mundo era fraterno. Ou naquele curso da Comuna, quando aprendi o corpo, o lugar onde ele actua. Ou no teatro. Abraços verdadeiros. De repente tive saudades daqueles antigos longos abraços que dávamos a torto e a direito. Tive saudades de abraçar o Alpi. O Apicultor. Uma meia dúzia de pessoas com quem a minha vida teima em desencontrar-se. Excepto a família mais restrita, a minha mulher, o meu filho, há muito tempo que não dou um abraço a sério, daqueles em que a gente se perde no tempo e no espaço. Por vezes tento, quando encontro alguém amigo na internet, lá deixo sair um grande abraço. Mas não é a mesma coisa...

6 comentários:

CCF disse...

Como tens razão...e como faz falta.
~CC~

Anónimo disse...

:)))Também tenho saudades de te abraçar, amigo.

Anónimo disse...

:)))

Porfirio Silva disse...

!!!

almighty yellowphant disse...

Digo muitas vezes "um abraço é mais sincero e mais sentido que um beijo"
Beijinhos

Cristina Gomes da Silva disse...

Também prefiro o calor inteiro dos abraços ;-)